L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church
Forum RP de l'Eglise Aristotelicienne du jeu en ligne RR
Forum RP for the Aristotelic Church of the RK online game
 
Lien fonctionnel : Le DogmeLien fonctionnel : Le Droit Canon
 FAQFAQ   RechercherRechercher   Liste des MembresListe des Membres   Groupes d'utilisateursGroupes d'utilisateurs   S'enregistrerS'enregistrer 
 ProfilProfil   Se connecter pour vérifier ses messages privésSe connecter pour vérifier ses messages privés   ConnexionConnexion 

[LIVRO DAS VIRTUDES 2-O Duo] As novas lógicas de Aristóteles

 
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório
Voir le sujet précédent :: Voir le sujet suivant  
Auteur Message
Adonnis
Cardinal
Cardinal


Inscrit le: 19 Jan 2018
Messages: 1841
Localisation: Leiria/Condado de Coimbra

MessagePosté le: Dim Déc 15, 2019 8:34 pm    Sujet du message: [LIVRO DAS VIRTUDES 2-O Duo] As novas lógicas de Aristóteles Répondre en citant



Citation:



    As Novas Lógicas de Aristóteles



    Primeira Lógica

    A sabedoria é o meio de mediação e equilíbrio entre dois extremos e pode ser determinada racionalmente. Quando a mediação é feita por um homem prudente, equilibra os extremos encontrando uma posição intermediária.

    Segunda Lógica
    O intelecto é algo divino em comparação com o homem, a vida segundo a razão é divina em comparação com a vida humana impensada. Portanto, não dê ouvidos àqueles que aconselham o homem porque ele é humano, seus pensamentos são limitados aos de um homem mortal e às coisas mortais. Mas o homem deve, na medida do possível, ser imortalizado pela busca solar e faça tudo para viver de acordo com a parte mais nobre que existe nele.

    Terceira Lógica
    É pela abstenção dos excessos que nos tornamos temperantes e, ao fazê-lo, nos tornamos ainda mais capazes de nos abster deles também para adquirirmos coragem: estamos acostumados a desprezar e resistir ao medo, o que nos torna mais corajosos, e tendo feito isso seremos capazes de resistir ao medo.

    Quarta Lógica
    Um homem bêbado com vinho cai para a frente porque sente a cabeça pesada, mas um homem bêbado com cerveja cai para trás porque está devidamente atordoado. O vinho também torna as pessoas muito afetuosas. A prova é que o bêbado está inclinado a beijar, mesmo na boca, aqueles que ele não beijaria nem se estivesse em jejum.

    Quinta Lógica
    O Logos organizou o universo a partir dos 4 elementos e, em seguida, dotou-o de uma alma para movimentar tudo. Ele, portanto, organizou esses elementos um junto com o outro, de modo que o que o fogo está no ar, o ar estava na água e a água está na terra. Posteriormente, o Logos os incorporou em um éter unificador divino.

    Sexta Lógica
    A lógica nos diz que todos os homens estão naturalmente ansiosos para aprender. O conhecimento é o resultado da demonstração racional, porque a demonstração é um silogismo que produz conhecimento. Para satisfazer esse desejo natural no homem, a prova lógica se torna necessária, porque o efeito, como tal, não pode existir sem a causa.

    Sétima Lógica
    Se eu tenho uma suposição maior que diz que todos os homens são mortais, e se minha suposição menor postula que todos os gregos são homens, a conclusão lógica da minha proposição é: Todos os gregos são mortais. Mas, na verdade, o objetivo sutil dessas afirmações silogísticas é destacar a imortalidade do motor supremo do mundo.

    Oitava Lógica
    A análise política nos ensina sempre que alguns têm grande riqueza e outros não têm nada, que é a pior das democracias, a oligarquia desenfreada ou uma tirania insuportável, o produto necessário de dois extremos opostos.

    Nona Lógica
    A dicção poética deve ter duas qualidades: ser clara e estar acima da linguagem vulgar. Ficará claro, se as palavras forem tomadas no seu sentido literal; mas então elas não terão nada que as aliviem. Será exaltado, e acima da linguagem vulgar, quem usar palavras extraordinárias, quero dizer, palavras estrangeiras, metáforas, palavras alongadas, enfim, tudo o que não for a linguagem comum. Mas, se o discurso for composto apenas dessas palavras, será um enigma ou uma barbárie contínua. Será um enigma, se tudo for metáfora; barbárie, se tudo é estrangeiro.

    Décima Lógica
    Um homem é um ser vivo que fala e é um animal político. A humanidade é dada a um homem no poder, ele deve então participar da vida política da cidade. A palavra assume então uma dimensão fundamental que permite a existência da cidade. Viver fora da cidade é ser um animal ou Deus.

    Décima Primeira Lógica
    Somente o filósofo que também é crente tem os olhos fixos na natureza das coisas e no divino, tendo vinculado os princípios da sua vida às realidades eternas e ancoragens estáveis ​​na paz e na solidão. Essa sabedoria é contemplativa, embora esteja enraizada na vida da cidade e, no entanto, nos dá a oportunidade de nos ajustarmos nela.

    Décima Segunda Lógica
    O político deve conhecer o justo em si mesmo para determinar o que é certo e apropriado. O justo em si é descendente das primeiras espécies existentes em si por sua natureza eterna. O justo, portanto, não deve ser reduzido à direitos positivos, múltiplos e variáveis, porque seu escopo é universal, caso contrário, não teremos o critério adequado para a justiça eterna. Que praga mais terrível que a injustiça que tem as armas na mão.

    Décima Terceira Lógica
    A qualidade da expressão verbal deve ser clara sem ser trivial. É por isso que afirmo: Deus pode me revelar o segredo do universo algum dia; então, diante d'Ele, jurarei me tornar um monge.

    Décima Quarta Lógica
    É por sua natureza que os homens são o que são, mas é por suas ações que eles podem ser felizes ou não. Como tenho pouca facilidade para fazer uso dos sentimentos humanos, Deus, depois de mim, lhe dará Christos.

    Décima Quinta Lógica
    O estudo das realidades naturais é diferenciado em quatro casos. Tome, por exemplo, uma estátua. A causa material: a matéria que compõe um objeto, aqui o mármore. É a causa que possibilita contingências e irregularidades dos objetos. De fato, o material "resiste" à modelagem. As restrições da matéria se opõem à forma, e é aí que o acaso, os "acidentes", ocorrem. A causa formal: é a forma que o escultor dá ao material. A causa final: é o objetivo, o uso que queremos fazer da coisa, é o seu propósito. Nada acontece sem rumo. A causa eficiente: é a atividade do escultor, o fato de esculpir. Porque cada desenvolvimento precisa de um mecanismo que possa iniciá-lo. A mesma coisa pode ter uma pluralidade de causas, mas não no mesmo sentido.

    Décima Sexta Lógica
    Toda arte e toda pesquisa, assim como toda ação e toda deliberação deliberada tendem, ao que parece, a algo bom. Por isso, estávamos perfeitamente certos em definir o bem: isso é perfeitamente virtuoso e, como a luz do sol, há uma tendência em todas as circunstâncias.

    Décima Sétima Lógica
    Aquele que for enviado pelo Supremo Logos para concluir meu trabalho guiará a humanidade à encontrar o caminho da meditação divina na confusão da futura guerra de idéias. Ele e seus sucessores construirão uma cidade ideal e uma estrutura universal que irradiará além do Mar Tirreno e brilhará sobre toda a humanidade.

    Décima Oitava Lógica
    A felicidade é uma forma de contemplação que o homem sábio deve se esforçar para alcançar.

    Décima Nona Lógica
    A beleza sensual é uma imagem da beleza eterna que a alma sempre proporcionou E as coisas são cópias das Ideias. A beleza é o resultado de certas proporções de certas medidas e ritmos harmônicos.

    Vigésima Lógica
    A metafísica é a ciência do que é, como é: do ser como ser. É a ciência das causas primárias e também a ciência do que é, como é: do ser como ser.

    Vigésima Primeira Lógica
    A essência das coisas está nas próprias coisas e em suas formas. O Ser Divino é todo-poderoso E a essência das coisas está nas próprias coisas e em suas formas.

    Vigésima Segunda Lógica
    O Logos significa em minha metafísica, o verbo supremo, o princípio criativo e a razão racional do mundo e contém em si as ideias eternas, arquétipos de todas as coisas.

_________________

Prince Royal of Portugal - Cardinal-Bishop of Saint Valentine of the Victories - Cardinal-Inquisitor International - Cardinal-Condestable of Rome
Vice-Chancellor of the Congregation of the Holy Armies - Viscount of Monte Real - Primate of Portugal - Bishop of Lamego and Ostia - "It's just a game!"
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
Montrer les messages depuis:   
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório Toutes les heures sont au format GMT + 2 Heures
Page 1 sur 1

 
Sauter vers:  
Vous ne pouvez pas poster de nouveaux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas répondre aux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas éditer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas supprimer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas voter dans les sondages de ce forum


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduction par : phpBB-fr.com