L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church
Forum RP de l'Eglise Aristotelicienne du jeu en ligne RR
Forum RP for the Aristotelic Church of the RK online game
 
Lien fonctionnel : Le DogmeLien fonctionnel : Le Droit Canon
 FAQFAQ   RechercherRechercher   Liste des MembresListe des Membres   Groupes d'utilisateursGroupes d'utilisateurs   S'enregistrerS'enregistrer 
 ProfilProfil   Se connecter pour vérifier ses messages privésSe connecter pour vérifier ses messages privés   ConnexionConnexion 

[DC] Preâmbulo - De Ecclesiae Dei Fondis

 
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório
Voir le sujet précédent :: Voir le sujet suivant  
Auteur Message
DuqueZezere



Inscrit le: 09 Oct 2008
Messages: 2733
Localisation: [PT] Évora, Portugal

MessagePosté le: Sam Mai 23, 2009 12:22 am    Sujet du message: [DC] Preâmbulo - De Ecclesiae Dei Fondis Répondre en citant

Citation:

    ........
    De Ecclesiae Dei Fondis
    Bula Pontifical «Os fundamentos da Igreja de Deus».







    Preâmbulo: O Dogma e o Direito Canónico da Santa Igreja Aristotélica, Universal e Romana, e os estatutos que regem os seus membros



    Parte I: Doutrinas e fundamentos da Igreja de Deus


    Secção A: Generalidades

    Artigo 1: A Igreja Aristotélica é a Única e Legitima Instituição do Todo-Poderoso.

    Artigo 2: A Igreja Aristotélica é a única detentora da Verdade Divina e da verdadeira Fé. Ela é habitada pela Acção Divina e é o órgão pelo qual se exprime na Terra e junto da comunidade de fiéis a vontade do Todo-Poderoso.

    Artigo 3: A Igreja Aristotélica tem o seu nome do profeta Aristóteles, que foi o primeiro a revelar a Verdade Divina. Esta foi instituída por Christos.

    Artigo 4: Enquanto instituição espiritual, universal e divina, a sua missão é a de propagar o aristotelismo às pessoas e às nações com o objectivo de lhes mostrar o caminho para o Paraíso.

    Artigo 5: Não existem outros profetas para além de Aristóteles e Christos. A simbiose da sua revelação constitui a mensagem divina, perfeita e imutável. Esta é complementar e indispensável para a compreensão da outra e da fé aristotélica.

    Artigo 6: O Dogma da Igreja Aristotélica é fundamentado de acordo com os textos dos livros e forma a evidência das crenças inalienáveis e necessárias. (1)

    Nota: Entende-se por "textos dos livros" os conteúdos do Livro das Virtudes, bem como os textos doutrinais e os escritos dos Santos.

    Artigo 7: Somente um conselho extraordinário, reunindo os bispos aristotélicos, podem questionar, modificar ou ajustar um dogma.

    Artigo 8: O Livro das Virtudes agrupa os livros do Mito Aristotélico as vidas de Aristóteles e Christos bem como a dos Arcanjos. Estes textos são sagrados e constituem os fundamentos da Religião Aristotélica. Eles têm valor dogmático.

    Artigo 9: As Doutrinas da Igreja Aristotélica formam um complemento da crença aristotélica. Escritas pelos teólogos e doutores da Igreja, elas têm um valor dogmático.

    Artigo 10: Os escritos dos santos complementam as doutrinas da Igreja Aristotélica. Eles são ensinamentos dos nossos predecessores sobre a fé que viveram as virtudes aristotélicas de maneira exemplar sempre com a graça de Jah. Eles são a Tradição viva e a incessante renovação da Igreja, esclarecendo os mistérios sagrados revelados pelos profetas.

    Artigo 11: O Livro de Hagiografias constitui um codex de biografias históricas de santos que tiveram a vocação de servir à edificação espiritual e social do mundo actual pelo exemplo de múltiplas vidas que vivenciaram o Paraíso de maneira exemplar com a sua fé e as suas virtudes da sua época.

    Artigo 12: Todo o humano é filho de Jah, nenhuma outra exclusão baseada em critérios de fé, virtude e mérito tem lugar na Igreja Aristotélica.

    Artigo 13: Uma heterodoxia é uma acção contrária aos Dogmas aristotélico, às doutrinas editadas e ao Direito Canónico da Santa Igreja, portanto prejudicial à comunidade de fieis e a Santa Instituição de Deus, por indução em erro dos filhos do Todo-Poderoso.

    Artigo 14: As heterodoxias são de quatro tipos: heresia, cisma, paganismo e ateísmo.

    Artigo 15: As heterodoxias são perseguidas pela Santa Inquisição até serem desvendadas e condenadas.

    Artigo 16: A Igreja Aristotélica distingue duas naturezas diferentes para os cargos, estatutos e acções dos seus membros. Estas diferentes naturezas podem ser In Gratebus (Em Graça) ou Res Parendo (Que se Parece).

      - Artigo 16 bis: A natureza In Gratebus agrupam as escolhas que existem pela Graça do Criador. A abreviação correcta utilizada no Direito Canónico é IG

      - Artigo 16 ter: A natureza Res Parendo agrupa as livres escolhas feitas por cada um que resultam da Criação. A abreviação correcta utilizada no Direito Canónico é RP.


    (1) O Livro das Virtudes disponível na Biblioteca romana não está completo pois precisa de ser traduzido. O texto original completo encontra-se nos arquivos secretos de Roma, estando os teólogos do Santo Ofício a trabalhar na conclusão da sua tradução.




    Secção B: Da Santidade, Beatificação e Canonização

    Artigo 17: Um Beato é um defunto aristotélico beatificado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, exemplar, virtuosa, digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

      - Artigo 17 bis: As regras e procedimentos para a beatificação estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.


    Artigo 18: Um Santo é um Beato canonizado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, mais exemplar, mais virtuosa, em relação ao Beato, e digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

      - Artigo 18 bis: As regras e procedimentos que levam à canonização estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.





    Secção C: Dos fundadores, os Padres e Doutores da Igreja

    Artigo 19: Os Padres da Igreja são os fundadores da Igreja Aristotélica em seus princípios na Renovação da Fé sob os pontificados dos Santíssimos Padres Nicolas V e Eugenio V. .

    Artigo 20: Os Doutores da Igreja são eminentes teólogos ou canonistas que produziram ou trabalharam em textos doutrinários, dogmáticos ou canônicos de importância universal.




    Secção D: Dos Milagres

    Artigo 21: O quadríptico causal:
    A causa material = um evento extraordinário unicamente atribuído à intervenção divina sem a possibilidade de ser uma intervenção humana ou natural.
    A causa eficiente = é reportada por testemunhas de confiança.
    A causa formal = investigada profundamente conjuntamente pela Oficina de São Teódulo e o Santo Ofício, com aviso emitido pelo Cenáculo do Santo Ofício.
    A causa final = o milagre é registado pela Santa Cúria.

    Artigo 22: Qualquer suposto milagre deve ser reportado por um fiel ou um clérigo.

    Artigo 23: Uma investigação rigorosa será realizada pelos teólogos da Oficina de São Teódulo e pelos teólogos do Santo Ofício, com aviso emitido pelo Cenáculo do Santo Ofício. Eles se concentrarão na coleta de provas das circunstancias, sobre a moralidade de testemunhas, sobre a veracidade dos fatos. As datas, locais e eventos serão registados com detalhes.

    Artigo 24: De acordo a investigação realizada, o Cenáculo do Santo Ofício apresentará um parecer favorável ou desfavorável sobre a veracidade do milagre para a Santa Cúria.

    Artigo 25: O Cenáculo do Santo Ofício e a Oficina de São Teódulo definirão se houve ou não uma intercessão de Santo diante do Altíssimo na manifestação do milagre.

    Artigo 26: A Santa Cúria é a única que pode reconhecer o milagre como tal.

    Nota: Em caso de anulação, um anúncio será publicado indicando as razões que levaram à Cúria a considerar que não foi um milagre. No caso de validação, um anúncio será publicado pela Cúria explicando o milagre, seus efeitos e suas consequências.



    Texto Canónico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus,
    Dado e ratificado em Roma pelo Sacro Colégio sob o pontificado do Santíssimo Padre Eugénio V no décimo segundo dia do mês de Abril, Sábado, dia da Santa Nicolaïde, do ano da graça de MCDLVII.

    Primeira publicação por Sua Eminência Jeandalf ao décimo primeiro dia do mês de Fevereiro, Domingo, de ano de MCDLV; revisto, selado e publicado novamente por Sua Eminência Aaron de Nagan, Cardeal-Camerlengo, ao décimo terceiro dia do mês de Abril, Segunda de Passagem, do ano da Graça de MCDLVII; revisto, selado e publicado novamente por Sua Eminência Aaron de Nagan, ao décimo dia do mês de Abril, sexta-feira, no dia da Santa Nicolaïde, do ano de Graça MCDLVII; revisto, emendado e publicado novamente por Sua Eminência Tibère de Plantagenêt, Cardeal-Camerlengo, ao vigésimo sétimo dia do mês de Novembro, sexta-feira, do ano de Graça MCDLVII; revisto, selado e publicado Sua Eminência Aaron de Nagan, Decano do Colégio Sagrado na qualidade de Arquichanceler da Santa Sé, ao vigésimo quarto dia do mês de Setembro, segunda-feira, do ano da Graça de MCDLX.



_________________


Dernière édition par DuqueZezere le Sam Juin 12, 2010 12:56 pm; édité 1 fois
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé Envoyer un e-mail MSN Messenger
DuqueZezere



Inscrit le: 09 Oct 2008
Messages: 2733
Localisation: [PT] Évora, Portugal

MessagePosté le: Sam Mai 23, 2009 12:23 am    Sujet du message: Répondre en citant

Citation:

    ........
    De Ecclesiae Dei Fondis
    Bula Pontifical «Os fundamentos da Igreja de Deus»
    - Continuação -







    Preâmbulo: O Dogma e o Direito Canónico da Santa Igreja Aristotélica, Universal e Romana, e os estatutos que regem os seus membros



    Parte II: Os estatutos dos membros da comunidade aristotélica


    Artigo 1: Todo o ser humano tem para a Igreja Aristotélica um estatuto. Ele pode ser crente, fiel, sacerdote ou heterodoxo.

    Artigo 2: O crente é uma pessoa não baptizada que partilha a fé aristotélica, a crença num só Deus e reconhece a Igreja Romana como Única Instituição do Todo-Poderoso.

      - Artigo 2 bis: Um crente tem o direito de receber o sacramento do baptismo se os seus actos e os seus pensamentos estiverem em conforme com os princípios e doutrinas editados pela Santa Igreja Aristotélica, respeitando as regras canónicas aplicadas a este sacramento.


    Artigo 3: Um fiel é um crente que recebeu o sacramento do baptismo e integra deste modo a comunidade de fiéis da Igreja Aristotélica.

      - Artigo 3 bis: Um fiel tem o direito de receber os sacramentos da confissão, do matrimónio, da ordenação e do funeral se os seus actos e os seus pensamentos estiverem em conforme com os princípios e doutrinas editados pela Santa Igreja Aristotélica, respeitando as regras canónicas aplicadas a este sacramento.


    Artigo 4: O sacerdote é um fiel que recebeu o sacramento da ordenação.

      - Artigo 4 bis: Um sacerdote tem o direito de receber os sacramentos da confissão e do funeral se os seus actos e os seus pensamentos estiverem em conforme com os princípios e doutrinas editados pela Santa Igreja Aristotélica, respeitando as regras canónicas aplicadas a este sacramento.


    Artigo 5: Um heterodoxo é uma pessoa que se encontra fora da comunidade dos crentes, seja por ser condenado de uma sentença canónica, seja porque ele não partilha nem a fé aristotélica num só Deus ou não reconhece a Igreja Romana como Única Instituição do Todo-Poderoso, ou porque é fiel de um outro culto.

    N.B.: Para a natureza das diferentes heterodoxias, ver os artigos da primeira parte (Doutrinas e fundamentos da Igreja de deus) do preambulo.

    Artigo 6: Os estatutos de fiel e de sacerdote podem ser modificados ou suspensos por uma pena canónica de ordem disciplinar.




    Texto Canónico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus,
    Dado e ratificado em Roma pelo Sacro Colégio sob o pontificado do Santíssimo Padre Eugénio V no vigésimo primeiro dia do mês de Abril, Sábado, dia da São Nicolau, do ano da Graça de MCDLVII.

    Primeira publicação por Sua Eminência Jeandalf ao décimo primeiro dia do mês de Fevereiro, Domingo, de ano de MCDLV; revisto, emendado e publicado novamente por Sua Eminência Aaron de Nagan, Cardeal-Camerlengo, ao vigésimo primeiro dia do mês de Abril, Terça-Feira, do ano da Graça de MCDLVII.




_________________
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé Envoyer un e-mail MSN Messenger
DuqueZezere



Inscrit le: 09 Oct 2008
Messages: 2733
Localisation: [PT] Évora, Portugal

MessagePosté le: Sam Mai 23, 2009 12:23 am    Sujet du message: Répondre en citant

Citation:

    ........
    De Ecclesiae Dei Fondis
    Bula Pontifical «Os fundamentos da Igreja de Deus»
    - Continuação -







    Preâmbulo: O Dogma e o Direito Canónico da Santa Igreja Aristotélica, Universal e Romana, e os estatutos que regem os seus membros



    Parte III: Os cargos no seio da comunidade aristotélica


    Artigo 1: Um cargo é uma função religiosa reconhecida pelo presente Direito Canónico, pelos regulamentos internos dos discatérios romanos, como pelas Regras de uma ordem religiosa reconhecida pela Cúria.

    Artigo 2: É considerado como ocupante de um cargo o fiel ou o sacerdote cuja nomeação ou eleição respeitem os procedimentos descritos no regulamento desse cargo.

    Artigo 3: É clerc aquele que ocupa um cargo religioso secular; é regularis aquele que ocupa um cargo religioso regular; é milites aquele que ocupa um cargo - definido como tal no artigo terceiro do Direito Canónico dos Santos Exércitos - no seio da Congregação dos Santos Exércitos; por oposição ao fiel que não ocupa nenhum destes três cargos.

    Nota: O cargo de clerc, e as regras que lhe são aferentes, superam as de regularis, e as de regularis as de milites.

      - Artigo 3 bis: São considerados como regularis da Igreja, os fiéis que ingressaram na vida monástica, os fiéis membros de ordens religiosas aristotélicas, ou de um ramo religioso de uma ordem militar e religiosa, e os fiéis que vivem em comunidade nas abadias In Gratebus.


      - Artigo 3 ter: São considerados como milites da Igreja, os fiéis membros de ramos armados de ordens militares que façam parte do efectivo dos Santos Exércitos aristotélicos, assim como os fiéis que estejam individualmente ou colectivamente sob as ordens do Estado Maior dos Santos Exércitos.


    Artigo 4: Sem derrogação do seu primaz, ou aviso contrário mencionado por certos cargos nos outros livros do Direito Canónico ou nos regulamentos interiores dos discatérios Romanos, os clercs e os regulatis quer sejam milites ou não, não podem portar armas exceptuando as ornamentais ligadas a um cargo social.

    Artigo 5: Um fiel não pode administrar sacramentos e um clerc não pode administrar os que não estão autorizados ao seu cargo.

    Artigo 6: Só um fiel ou um sacerdote podem ocupar um cargo no seio da Igreja.

    Artigo 7: O estatuto universitário de teólogo (OOC: nível 3 via da Igreja) não é um estatuto religioso, mas é necessário para ocupar certos cargos.

    Artigo 8: Os cargos no seio da Igreja Aristotélica repartem-se em três categorias: principal, secundário e terciário.

    Artigo 9: Os cargos principais constituem a base hierárquica da Igreja Aristotélica. Eles estão acima de todos os outros.

      - Artigo 9 bis: Um mesmo clerc não pode ocupar mais que um cargo principal.


    Artigo 10: Os cargos secundários são cargos complementares da Igreja Aristotélica. Geralmente estão entre os cargos auxiliares e primários.

      - Artigo 10 bis: Um mesmo clerc não pode ocupar mais que dois cargos secundários e eventualmente um cargo primário.


    Artigo 11: Os cargos terciários são os cargos ligados às congregações ou às ordens religiosas, ou que não entra em nenhuma das duas anteriores categorias.

      - Artigo 11 bis: A acumulação de cargos terciários é definida pelas regras de cada ordem ou congregação. Salvo menção contrária, os cargos terciários são acumuláveis com eventuais cargos primários e secundários.


    Artigo 12: Os sacerdotes que ocupem um cargo de dignidade episcopal portam o título de prelado, privilégio outorgado pelo mérito dos ocupantes desse cargo.

    Nota: Esta "dignidade episcopal" está reflectida nos ornamentos heráldicos por um mínimo de três filas de borlas

    Artigo 13: No seio do clero secular, um clerc não pode estar sob a autoridade directa de mais que um outro clerc. Ele não pode acumular cargos conforme as regras impostas.

    Artigo 14: Os cargos honoríficos e eméritos não entram em linha de conta com as regras de acumulação.




    Texto Canónico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus,
    Dado em Roma sob o pontificado do Santíssimo Padre Eugénio V, no primeiro dia do mês de Agosto do ano da graça de MCDLV.

    Última ratificação pelo Sacro Colégio dos Cardeais ao décimo dia do mês de Janeiro do ano da graça de MCDLVII, Sábado

    Publicado por Sua Eminência Jeandalf ao primeiro dia do mês de Agosto, Domingo, de ano de MCDLV como preambulo do Livro II dobre o clero secular; revisto, emendado e publicado novamente por Sua Eminência Aaron de Nagan, Cardeal-Camerlengo, ao décimo primeiro dia do mês Janeiro, Domingo, do ano da Graça de MCDLVII do Nosso Senhor.




_________________
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé Envoyer un e-mail MSN Messenger
Jane_x
Cardinal
Cardinal


Inscrit le: 01 Mai 2011
Messages: 605

MessagePosté le: Mar Juil 30, 2013 11:47 pm    Sujet du message: Répondre en citant

Citation:

    Revisão do Direito Canônico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus - De Ecclesiae Dei Fondis




    Após a consideração da Congregação do Santo Ofício e do Colégio Pontifício, tornou-se necessário modificar a árvore e a divisão da bula papal De Ecclesiae Dei Fondis para atender a demanda para a clareza necessária no seguimento das novas regras.

    As principais alterações repousa na divisão em seções da Bula, acrescentando regras com respeito aos milagres, e a reorganização da parte sobre a canonização. Os caracteres em itálico indicam uma frase excluída, revisada ou adicionada. As frases deslocadas permanecem em caracteres normais.

    A conformação da numeração dos artigos foi revisada e alterada para respeitar a ordem numérica. Os antigos artigos 17, 18, 19, 20, 20 bis e 20 ter tornam-se os artigos 13, 14, 15, 16, 16 bis e 16 ter. Os antigos artigos 13, 13 bis, 14 e 14 bis, tornam-se respectivamente os artigos 17, 17 bis, 18 e 18 bis. Os antigos artigos 15 e 16 tornam-se os artigos 19 e 20.


    Parte I

    - É adicionado como segue:


    Seção A: Generalidades

    Artigo 1: ...


    - É removida e transferida para uma outra secção:


    Artigo 13:
    Um Beato é um defunto aristotélico beatificado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, exemplar, virtuosa, digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

    - Artigo 13 bis: As regras e procedimentos para a beatificação estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.


    Artigo 14: Um Santo é um Beato canonizado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, mais exemplar, mais virtuosa, em relação a um Beato, e digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

    - Artigo 14 bis: As regras e procedimentos que levam à canonização estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.


    Artigo 15: Os Padres da Igreja são os fundadores da Igreja Aristotélica em seus princípios na Renovação da Fé sob os pontificados dos Santíssimos Padres Nicolas V e Eugenio V.

    Artigo 16: Os Doutores da Igreja são eminentes teólogos ou canonistas, que produziram ou trabalharam em textos doutrinários, dogmáticos ou canónicos de importância universal.


    - É acrescentado e alterado como segue:


    Secção B: da santidade, beatificação e canonização

    Artigo 17:
    Um Beato é um defunto aristotélico beatificado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, exemplar, virtuosa, digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

    - Artigo 17 bis: As regras e procedimentos para a beatificação estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.


    Artigo 18: Um Santo é um Beato canonizado pela Santa Igreja em termos de sua vida passada, mais exemplar, mais virtuosa, em relação ao Beato, e digna de exemplo social e espiritual para a comunidade aristotélica.

    - Artigo 18 bis: As regras e procedimentos que levam à canonização estão incluídos no Direito Canónico da Congregação do Santo Ofício.




    - É acrescentado e alterado como segue:


    Secção C: dos fundadores, os Padres e Doutores da Igreja

    Artigo 19:
    Os Padres da Igreja são os fundadores da Igreja Aristotélica em seus princípios na Renovação da Fé sob os pontificados dos Santíssimos Padres Nicolas V e Eugenio V. .

    Artigo 20: Os Doutores da Igreja são eminentes teólogos ou canonistas que produziram ou trabalharam em textos doutrinários, dogmáticos ou canônicos de importância universal.


    - É acrescentado e alterado da seguinte forma:


    Seção D: Dos Milagres

    Artigo 21:
    O quadríptico causal:
    A causa material = um evento extraordinário unicamente atribuído à intervenção divina sem a possibilidade de ser uma intervenção humana ou natural.
    A causa eficiente = é reportada por testemunhas de confiança.
    A causa formal = investigada profundamente conjuntamente pela Oficina de São Teódulo e o Santo Ofício, com aviso emitido pelo Cenáculo do Santo Ofício.
    A causa final = o milagre é registado pela Santa Cúria.

    Artigo 22: Qualquer suposto milagre deve ser reportado por um fiel ou um clérigo.

    Artigo 23: Uma investigação rigorosa será realizada pelos teólogos da Oficina de São Teódulo e pelos teólogos do Santo Ofício, com aviso emitido pelo Cenáculo do Santo Ofício. Eles se concentrarão na coleta de provas das circunstancias, sobre a moralidade de testemunhas, sobre a veracidade dos fatos. As datas, locais e eventos serão registados com detalhes.

    Artigo 24: De acordo a investigação realizada, o Cenáculo do Santo Ofício apresentará um parecer favorável ou desfavorável sobre a veracidade do milagre para a Santa Cúria.

    Artigo 25: O Cenáculo do Santo Ofício e a Oficina de São Teódulo definirão se houve ou não uma intercessão de Santo diante do Altíssimo na manifestação do milagre.

    Artigo 26: A Santa Cúria é a única que pode reconhecer o milagre como tal.

    N.B.: Em caso de anulação, um anúncio será publicado indicando as razões que levaram à Cúria a considerar que não foi um milagre. No caso de validação, um anúncio será publicado pela Cúria explicando o milagre, seus efeitos e suas consequências.



    Revisão do texto canónico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus,
    Dado e aprovado em Roma pelo Colégio Sagrado sob o pontificado do Santíssimo Padre Eugenio V, no décimo dia do mês de abril, na sexta-feira, dia do santo São Nicolaïde, do ano da graça MCDLVII, revisado sob o pontificado de Santíssimo Padre Inocêncio VIII, o vigésimo quarto dia do mês de setembro, na segunda-feira, do ano da graça de MCDLX, na manha de Santa Tecla de Icorium.

    Alterações e revisões escritas e publicadas por Sua Eminência Aaron de Nagan, Decano do Colégio Sagrado em sua qualidade de Arquichanceler da Santa Sé, o vigésimo quarto dia do mês de setembro, na segunda-feira, do ano da graça de MCDLX

_________________
-----------------------------------

No momento em que desistimos dos sonhos a vida fica desprovida de sentido...
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
NReis
Cardinal
Cardinal


Inscrit le: 16 Mai 2012
Messages: 2592
Localisation: Chaves - Kingdom of Portugal

MessagePosté le: Dim Juil 02, 2017 11:56 pm    Sujet du message: Répondre en citant

Citation:

    ........
    De Ecclesiae Dei Fondis
    Bula Pontifical «Os fundamentos da Igreja de Deus»
    - Continuação -







    Preâmbulo: O Dogma e o Direito Canónico da Santa Igreja Aristotélica, Universal e Romana, e os estatutos que regem os seus membros



    Parte IV: Princípios gerais e Disposições específicas


    Da promulgação do Direito Canónico

    Artigo 1: O Sumo Pontífice, ou por delegação o Sacro-Colégio dos Cardeais, está habilitado a promulgar as leis, cânones e regulamentos da Santa Igreja Aristotélica sob a forma de bula ou de indulto.

      Artigo 1.1: O Direito Canónico é promulgado ou modificado sob a forma de uma bula pontifical timbrada com o selo do Sumo Pontífice, do Sacro-Colégio dos Cardeais, ou da Santa Igreja Aristotélica. Dispõe de valor perpétuo e universal e revoga os cânones em vigor.

      Nota: As bulas pontificais modificam de forma significativa o Direito Canónico. São preferidas aos indultos quando corrigem, reformam ou renovam diversas secções ou artigos em profundidade.

      Artigo 1.2: O Direito Canónico é modificado sob a forma de um indulto timbrado com o selo do Sumo Pontífice, do Sacro-Colégio dos Cardeais, ou da Santa Igreja Aristotélica. Dispõe de valor perpétuo e universal e substitui os cânones que permuta. A cada quatro meses no mínimo e a cada seis meses no máximo, os indultos são compilados no Direito Canónico, que é emendado e publicado sob a forma de uma nova bula pontifical.

      Nota: Os indultos modificam de forma menor o Direito Canónico. São preferidos às bulas pontificais quando corrigem ou alteram um baixo número de artigos cujo âmbito é reduzido.


    Dos direitos e competências das instituições da Igreja

    Artigo 2: Qualquer decisão tomada por uma instituição, um Colégio, ou uma Assembleia da Igreja Aristotélica e Romana não pode ser revista, alterada ou suprimida pela instituição que a produziu ou por uma instituição superior da qual depende.





    Revisão do texto canónico sobre os Fundamentos da Igreja de Deus.
    Feito e aprovado em Roma pelo Sacro-Colégio sob o pontificado do Santo Papa Eugénio V, ao décimo dia do mês de Abril, sexta-feira, dia da Santa Nicolaïde, do ano de Graça MCDLVII; revisto sob o pontificado do Santo Papa Inocêncio VIII, ao vigésimo quarto dia do mês de Setembro, segunda-feira, do ano de Graça MCDLX, no dia seguinte ao do Santo Thécle d'Icorium; revisto novamente sob o pontificado do mesmo, ao décimo segundo dia do mês de Março, sábado, do ano de Graça MCDLXIV, dia do Santo Paulo Aureliano.

    Alterações e revisões redigidas e publicadas por Sua Eminência Aaron de Nagan, Decano do Sacro-Colégio na sua qualidade de Arquichanceler da Santa Sé, ao décimo segundo dia do mês de Março, sábado, do ano de Graça MCDLXIV.




_________________
His Excellency NReis Ribeiro de Sousa Coutinho | Archbishop of Braga | Vice-Primate of the Kingdom of Portugal | General Secretary of the Roman Registers | Writer of the Saint Office | Translator on Villa San Loyats



Diploma Curso Professoral


Dernière édition par NReis le Dim Juil 23, 2017 1:10 pm; édité 1 fois
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
NReis
Cardinal
Cardinal


Inscrit le: 16 Mai 2012
Messages: 2592
Localisation: Chaves - Kingdom of Portugal

MessagePosté le: Mer Juil 19, 2017 10:29 am    Sujet du message: Répondre en citant

- Atualizado a 2 de Julho de 1465
_________________
His Excellency NReis Ribeiro de Sousa Coutinho | Archbishop of Braga | Vice-Primate of the Kingdom of Portugal | General Secretary of the Roman Registers | Writer of the Saint Office | Translator on Villa San Loyats



Diploma Curso Professoral
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
Montrer les messages depuis:   
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório Toutes les heures sont au format GMT + 2 Heures
Page 1 sur 1

 
Sauter vers:  
Vous ne pouvez pas poster de nouveaux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas répondre aux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas éditer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas supprimer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas voter dans les sondages de ce forum


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduction par : phpBB-fr.com