L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church
Forum RP de l'Eglise Aristotelicienne du jeu en ligne RR
Forum RP for the Aristotelic Church of the RK online game
 
Lien fonctionnel : Le DogmeLien fonctionnel : Le Droit Canon
 FAQFAQ   RechercherRechercher   Liste des MembresListe des Membres   Groupes d'utilisateursGroupes d'utilisateurs   S'enregistrerS'enregistrer 
 ProfilProfil   Se connecter pour vérifier ses messages privésSe connecter pour vérifier ses messages privés   ConnexionConnexion 

[Livro das Virtudes] Arcanjo S. Galadriel

 
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório
Voir le sujet précédent :: Voir le sujet suivant  
Auteur Message
Jane_x
Cardinal
Cardinal


Inscrit le: 01 Mai 2011
Messages: 605

MessagePosté le: Dim Juil 28, 2013 10:31 pm    Sujet du message: [Livro das Virtudes] Arcanjo S. Galadriel Répondre en citant

Citation:
Este texto é a tradução de um pergaminho antigo encontrado há uma dezena de anos numa biblioteca antiga, numa ilha grega. O seu autor é desconhecido e a tradução exigiu muitas horas de trabalho em virtude do pergaminho se encontrar em mau estado aquando da sua descoberta.

Hagiografia Santa Galadriel, Arcanjo


A negra infância:

Galadriel nasceu em tempos difíceis quando a cidade de Oanylone foi entregue aos pecados. A sua família pertencia àqueles que se reivindicavam como os fortes. Controlavam o comércio de vacas, garantindo assim a sua superioridade sobre os outros. Entrincheirados num grande edifício ao lado da colina com vista para Oanylone. Galadriel cresceu neste contexto de contínuos conflitos, permanecendo incansavelmente fechada no seu quarto e na sua casa. Galadriel era uma criança simples que nunca pedia nada, conformando-se com o que lhe davam. Sobre Jah nada conheceu durante a sua infância. Contaram-lhe apenas a história da sua cidade, a qual fazia passar Oane por um homem de poder. Foi rapidamente rejeitada pelos seus irmãos e irmãs, que a consideravam demasiado fraca. Foi posta de lado encontrando-se bem depressa sozinha, vivia no sótão da sua casa, no escuro, esperando apenas as duas refeições que lhe traziam ao almoço e ao jantar. No entanto, chegou um dia que mudou tudo para ela. Enquanto a criada vinha trazer-lhe o seu almoço como era habitual, a luz atravessou pela porta revelou a Galadriel uma pilha de livros que ela nunca tinha visto. A sorte sorria-lhe, ela encontrara ao lado dos livros velas e um pequeno objecto que permitia criar uma chama fraca. Assim ela aprendeu a ler, sozinha no seu sótão e descobriu muitos outros livros porque o seu sótão estava repleto deles. Num dia em que acabara de ler uma obra sobre plantas medicinais, procurando um novo para estudar encontrou um velho conjunto de pergaminhos, muito usados, com numerosas páginas. Chamava-se ”O Guia”. Este livro contava a história de Oane e da criação da cidade e foi assim que Galadriel descobriu a existência de Jah. A partir deste dia, ela orava todos os dias, rezava um pouco mais ao domingo, para comunicar ainda mais com Ele, como faziam as pessoas antes, reunindo-se sobre o túmulo do Guia.



A libertação:

Um dia um grande estrondo acordou-a. A casa fora atacada de novo. O vício incitava à exaltação extrema, a cidade não era mais que uma vala comum onde todo o mundo se matava, fornicava e era o momento da família de Galadriel pagar o preço da queda dos homens que tinham esquecido Jah e o seu Amor. Toda a família e os domésticos foram massacrados, as mulheres violadas antes de serem degoladas ou evisceradas. Galadriel, escondida no fundo do seu sótão rezou durante todo o tempo que o ataque, seguido por pilhagem durou. Após vários dias sem comer escondida no seu sótão, finalmente saiu. A casa fora saqueada, não restava nada, tudo tinha sido roubado ou destruído. Ela fugiu para as montanhas, onde sobreviveu um tempo antes de retornar à cidade. Encontrou lá pessoas que, como ela, ainda acreditavam em Jah e no seu Amor. Com eles, ajudou no que podia, comendo e bebendo sempre pouco, sem guardar nada mais para ela que um velho e simples vestido para se vestir. Durante esse tempo, serviu ao pobre e ao fraco, fazendo prova da maior generosidade possível, tanto que a sua humildade era reconhecida por todos os que estavam com ela.



A iluminação:

Foi então que Jah se dirigiu aos habitantes de Oalyane anunciando-lhes a destruição iminente da cidade. Foi então que os sete Senhores do Vício, como eram apelidados por Galadriel, apareceram e assumiram o controlo de uma parte da cidade para a sua rebelião contra Jah. Galadriel encontrava-se no lado oposto, entre aqueles que acreditavam ainda no Todo-Poderoso, no seu Amor e reconheciam os pecados dos homens assim como aqueles que os assumiam com humildade. Durante os seis dias Galadriel rezou com Rafaela, Miguel, Sylphael, Gabriel, Jorge e Micael bem como com um grupo de homens e mulheres que os tinham seguido. Durante estes seis dias, Jah dirigiu-se a ela por duas vezes. A primeira, enquanto uma mulher estava moribunda por falta de alimento. Ele disse-lhe então:

- Galadriel, dos sete humanos que encarnam as virtudes supremas, tu és a que possui menos e que nunca experimentaste a necessidade, ajuda esta mulher para me provares que encarnas bem a conservação e serás recompensada.

Durante os dois dias que se seguiram, Galadriel nada mais comeu que um naco de pão, deixando o resto da sua ração à mulher que fora salva. Ao terceiro dia Jah falou uma vez mais a Galadriel e disse-lhe como da primeira vez:

- Galadriel, dos sete humanos que encarnam as virtudes supremas, tu és a que possui menos e que nunca experimentaste a necessidade, oferece aos teus companheiros tudo o que possuis para me provares que encarnas bem a conservação e serás recompensada.

Galadriel deu então tudo o que possuía inclusive o seu vestido, que antes mantinha, a pedido de uma mulher como empréstimo. E comendo graças à amizade dos seus companheiros, que cada um à vez lhe deram um pouco de que alimentar-se cada dia. Chegou o sétimo dia, o solo fendou, as chamas saíram da terra e toda a cidade foi engolida. Galadriel, os seus seis companheiros e as suas disciplinas refugiaram-se sobre a colina onde assistem ao cataclismo. Foi então que a luz caiu sobre eles. Galadriel, Rafaela, Miguel, Sylphael, Gabriel, Jorge e Micael tiveram a honra de ser chamados arcanjos para a humildade bem como para a virtude que todos eles haviam encarnado, os seus discípulos tornaram-se anjos porque provaram eles também o seu desejo de arrependimento.



O Arcanjo:

Tornada Arcanjo graças à sua humildade e à conservação que ela encarnava, Galadriel tornou-se uma dos sete segundos de Jah, que tinham por missão ajudar os humanos cada vez que isso fosse possível bem como combater a Criatura Sem Nome. Galadriel cumpriu então com zelo a missão que Jah lhe confiara. Durante os primeiros tempos, até ao nascimento de Aristóteles, ela nada mais fez que observar com pena os humanos entregarem-se ao paganismo. Mas o nascimento do Profeta mudara numerosas coisas, inspirara então muitas pessoas a seguir o caminho da conservação. A cada oração que lhe era endereçada, descia à terra outorgar o seu perdão. Ela nunca cessou a sua luta contra os gananciosos.
Chegou um dia em que ela foi chamada à Terra por um jovem rapaz que lhe pedia a sua ajuda. A criança, sozinha a chorar e rezar na sua cama num grande quarto luxuoso, viu então chegar uma mulher, com longos cabelos loiros, vestida com um ligeiro e simples vestido de linho branco imaculado, que revelava as suas formas, duas asas nas costas irradiando uma luz pura. Dirigiu-se da seguinte forma ao rapaz:

- Eu sou Galadriel, Arcanjo da Conservação, pediste-me ajuda e respondo ao teu pedido, diz-me em que te posso ajudar.

O rapaz, maravilhado com a beleza e pureza de Galadriel, respondeu-lhe:

- Meu pai, o Rei destas terras, força-me a comer e beber como um guerreiro porque diz que eu sou muito franzino. Mas eu não gosto de comer todas estas coisas e de beber todos estes vinhos como ele e a sua corte fazem.

Galadriel abanou então a cabeça e quando se elevava no ar para ir embora batendo as asas respondeu-lhe:
- O teu desejo será concedido meu rapaz.

E depois desapareceu no céu entre duas. No dia seguinte os armazéns do Rei foram encontrados vazios, e este, incapaz de passar sem todo o alimento que engolia cada dia morreu. O jovem rapaz tornou-se Rei e nunca mais alguém foi obeso neste reino.

Chegou um dia em que Jah pediu pessoalmente a Galadriel para cumprir uma missão por ele. Convocara-a, ela apresentara a Ele com toda a humildade e disse-lhe:

- Galadriel, vais cumprir fazer uma pesquisa para mim. Vais às terras esquecidas, do local onde se encontram as ruínas de Oanylone, quero que me tragas de volta a Coroa da Criatura Sem Nome.

Galadriel partiu então para uma longa viagem. A localização das terras esquecidas não eram conhecidas por nenhum homem e apenas um anjo podia lá aceder voando. Estas não eram mais que milhas e milhas de terras áridas e negras, sem qualquer vida ou gota de água. Galadriel encontrou no local das ruínas de Oanylone uma enorme fenda. Durante dias ela procurara nos arredores a Coroa da Criatura Sem Nome sem êxito. Desesperada pensou em desistir e regressar envergonhada ao Paraíso para confessar o seu fracasso a Jah. Foi então que um bafo saiu da enorme fenda. Galadriel percebeu então que deveria procurar a coroa no abismo. Mergulhou, iluminado o seu caminho graças à luz divina que dela irradiava. No fundo do abismo sobre um pedestal rodeado de lava encontrou a coroa. Enorme, toda em ouro e ornamentada com inúmeras pedras preciosas reflectia o orgulho da Criatura Sem Nome. Galadriel pegou então na coroa e saiu do abismo, mas foi atacada. A Criatura Sem Nome em pessoa saltou sobre ela, envolvendo-a com a sua escuridão. Combateram durante vários dias, não chegando a alcançar a vitória nem a luz nem a escuridão. Foi então que Miguel, Arcanjo da Justiça, chegou para ajudar Galadriel. Trespassou a Criatura Sem Nome com a sua lança, repelindo-a e fazendo-a fugir. Voltou então com Galadriel e a coroa ao Paraíso, lá Jah destruiu o objecto, símbolo de cobiça e gratificou Galadriel com graça divina pelo seu combate contra a Criatura Sem Nome.


Traduzido do grego Por Arilan Louvois, Teólogo do Santo Oficio Romano.


_________________
-----------------------------------

No momento em que desistimos dos sonhos a vida fica desprovida de sentido...
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
Montrer les messages depuis:   
Poster un nouveau sujet   Ce sujet est verrouillé; vous ne pouvez pas éditer les messages ou faire de réponses.    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> Igreja de Portugal - L'Église de Portugal - Church of the Kingdom of Portugal -> Capítulo do Repositório Toutes les heures sont au format GMT + 2 Heures
Page 1 sur 1

 
Sauter vers:  
Vous ne pouvez pas poster de nouveaux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas répondre aux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas éditer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas supprimer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas voter dans les sondages de ce forum


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduction par : phpBB-fr.com