L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church
Forum RP de l'Eglise Aristotelicienne du jeu en ligne RR
Forum RP for the Aristotelic Church of the RK online game
 
Lien fonctionnel : Le DogmeLien fonctionnel : Le Droit Canon
 FAQFAQ   RechercherRechercher   Liste des MembresListe des Membres   Groupes d'utilisateursGroupes d'utilisateurs   S'enregistrerS'enregistrer 
 ProfilProfil   Se connecter pour vérifier ses messages privésSe connecter pour vérifier ses messages privés   ConnexionConnexion 

[Dogma - PT] Blessed Minus Mailhes

 
Poster un nouveau sujet   Répondre au sujet    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> La Bibliothèque Romaine - The Roman Library - Die Römische Bibliothek - La Biblioteca Romana -> Office des bibliothécaires - Office of the Librarian
Voir le sujet précédent :: Voir le sujet suivant  
Auteur Message
Lyssah



Inscrit le: 29 Mai 2018
Messages: 291

MessagePosté le: Jeu Sep 02, 2021 2:39 am    Sujet du message: [Dogma - PT] Blessed Minus Mailhes Répondre en citant

Citation:
    A Conservação de si mesmo é uma virtude.


    A conservação de si mesmo é uma das sete virtudes que constituem a virtude perfeita.

    O dogma a define da seguinte maneira:


    Citation:
    Conservação é a capacidade de trabalhar pela própria sobrevivência. É a consciência de suas necessidades básicas de comida, água e sono.


    Pois, para cada virtude existe um pecado correspondente. O Dogma define que o pecado oposto da virtude da conservação é a gula, "o abuso do prazer das necessidades primárias" . Mas este pecado também é considerado "o vício de quem não tem a medida das necessidades de sua subsistência".

    No entanto, esta medida, é condenável pelo excesso, mas também deve ser condenada por privação extrema. Na verdade, privar o corpo das necessidades necessárias à manutenção da vida é contrário à virtude da autopreservação, pois o resultado é a morte que leva à erradicação.

    A morte voluntariamente concedida é, portanto, um pecado.Por consequência , a falta de cuidado e, mais amplamente, qualquer ato que visa à nossa própria destruição são condutas que devem ser condenadas porque não correspondem à busca do Meio Justo.



    A Criação Divina nos é submissa, porém a espécie humana deve perdurar

    O humano é uma criatura resultante da criação de Deus. Portanto, cuidando de si mesmo, o humano cuida da criação divina.
    Certamente, Deus submeteu a Criação ao homem, mas também ordenou a Oane que garantisse a sobrevivência da humanidade.

      Criação VIII, 6 escreveu:
      Citation:
      "Mas será preciso ainda que, cada dia, tu e os teus façam perdurar a vossa espécie.(...) Eu fiz todas as criaturas, vossas submetidas. Assim, vocês alimentar-se-ão, sem que elas se alimentem de vocês
      .


    A partir dessas palavras divinas, fica claro que um dos objetivos da humanidade não é apenas perpetuar sua espécie, mas também garantir a integridade de sua vida. Se a criação é de fato nosso bem que temos livremente, o ser humano é uma exceção a esse uso. Os humanos têm tudo, exceto eles próprios.

      Citação
      Citation:
      NB: Além disso, se os humanos devem garantir sua conservação, eles também devem garantir que outros elementos da Criação não afetem sua vida. " sem que elas se alimentem de vocês" , indica claramente que o homem deve fazer todo o possível para repelir o perigo representado pelas criaturas selvagens. Deixar de tomar as precauções necessárias para a própria defesa (viagens solo sem características de força suficientes) é, portanto, também uma questão de não conservação do Self.
      Observe que, algumas criaturas humanas também sendo incapazes de compreender o Amor, trabalhando no pecado por heterodoxia ou heresia, devem, portanto, ser repelidas ou mesmo eliminadas. Da mesma forma, certos ritos pagãos que ousam colocar a Criação no mesmo nível que os humanos, devem ser erradicados.


    Além de ser o oposto da Virtude, qualquer prejuízo voluntário, indireto ou direto à nossa Vida é, portanto, um ataque aos ensinamentos divinos transcritos em nosso Livro das Virtudes.

    A não preservação de si mesmo, o suicídio, portanto, é um atentado aos valores do aristotelismo e deve ser objeto de uma clara e firme condenação do direito canônico.



Escrito por Beato Minus Mailhes


Code:
[quote][list][size=25][color=indigo][i][b]A Conservação de si mesmo é uma virtude.[/b][/i][/color][/size]


[size=12]A conservação de si mesmo é uma das sete virtudes que constituem a virtude perfeita.

O dogma a define da seguinte maneira: [/list][/size]
[list]
[quote][color=darkred]Conservação é a capacidade de trabalhar pela própria sobrevivência. É a consciência de suas necessidades básicas de comida, água e sono. [/color][/quote]

Pois, para cada virtude existe um pecado correspondente. O Dogma define que o pecado oposto da virtude da conservação é a gula,[i] "o abuso do prazer das necessidades primárias"[/i] . Mas este pecado também é considerado [i]"o vício de quem não tem a medida das necessidades de sua subsistência".[/i]

No entanto, esta medida, é condenável pelo excesso, mas também deve ser condenada por privação extrema. Na verdade, privar o corpo das necessidades necessárias à manutenção da vida é contrário à virtude da autopreservação, pois o resultado é a morte que leva à erradicação.

A morte voluntariamente concedida é, portanto, um pecado.Por consequência , a falta de cuidado e, mais amplamente, qualquer ato que visa à nossa própria destruição são condutas que devem ser condenadas porque não correspondem à busca do Meio Justo.



[b]A Criação Divina nos é submissa, porém a espécie humana deve perdurar[/b]

O humano é uma criatura resultante da criação de Deus. Portanto, cuidando de si mesmo, o humano cuida da criação divina.
Certamente, Deus submeteu a Criação ao homem, mas também ordenou a Oane que garantisse a sobrevivência da humanidade.

[list][b]Criação VIII, 6 escreveu:[/b]
[quote][color=darkred]"Mas será preciso ainda que, cada dia, tu e os teus façam perdurar a vossa espécie.(...) Eu fiz todas as criaturas, vossas submetidas. Assim, vocês alimentar-se-ão, sem que elas se alimentem de vocês[/color][/quote].[/list]

A partir dessas palavras divinas, fica claro que um dos objetivos da humanidade não é apenas perpetuar sua espécie, mas também garantir a integridade de sua vida. Se a criação é de fato nosso bem que temos livremente, o ser humano é uma exceção a esse uso. Os humanos têm tudo, exceto eles próprios.

[list][b]Citação[/b]
[quote][color=darkred][b]NB[/b]: Além disso, se os humanos devem garantir sua conservação, eles também devem garantir que outros elementos da Criação não afetem sua vida. [i]" sem que elas se alimentem de vocês"[/i] , indica claramente que o homem deve fazer todo o possível para repelir o perigo representado pelas criaturas selvagens. Deixar de tomar as precauções necessárias para a própria defesa (viagens solo sem características de força suficientes) é, portanto, também uma questão de não conservação do Self.
Observe que, algumas criaturas humanas também sendo incapazes de compreender o Amor, trabalhando no pecado por heterodoxia ou heresia, devem, portanto, ser repelidas ou mesmo eliminadas. Da mesma forma, certos ritos pagãos que ousam colocar a Criação no mesmo nível que os humanos, devem ser erradicados.[/color][/quote][/list]

Além de ser o oposto da Virtude, qualquer prejuízo voluntário, indireto ou direto à nossa Vida é, portanto, um ataque aos ensinamentos divinos transcritos em nosso Livro das Virtudes.

[b]A não preservação de si mesmo, o suicídio, portanto, é um atentado aos valores do aristotelismo e deve ser objeto de uma clara e firme condenação do direito canônico.[/b][/list]


Escrito por Beato Minus Mailhes
[/quote]

_________________

*Primacy of Portugal - Archdiocese of Lisboa - Parish of Alcobaça*
Diocesan Steward of Lisboa - Deaconess of Alcobaça - Confessor of Alcobaça
Portuguese Inspector in the Office of Aristotelian Teaching - Intern Teacher in the Minor Seminary of Viana do Castelo
Portuguese Translator of Villa San Loyats (Portuguese Frigidarium)
Revenir en haut de page
Voir le profil de l'utilisateur Envoyer un message privé
Montrer les messages depuis:   
Poster un nouveau sujet   Répondre au sujet    L'Eglise Aristotelicienne Romaine The Roman and Aristotelic Church Index du Forum -> La Bibliothèque Romaine - The Roman Library - Die Römische Bibliothek - La Biblioteca Romana -> Office des bibliothécaires - Office of the Librarian Toutes les heures sont au format GMT + 2 Heures
Page 1 sur 1

 
Sauter vers:  
Vous ne pouvez pas poster de nouveaux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas répondre aux sujets dans ce forum
Vous ne pouvez pas éditer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas supprimer vos messages dans ce forum
Vous ne pouvez pas voter dans les sondages de ce forum


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduction par : phpBB-fr.com